Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

quarta-feira, abril 22, 2009

Camargo Corrêa vê grande potencial na Usiminas

Grupo aproveita decisão da Vale de deixar a siderúrgica para aumentar sua participação na companhia
Francine De Lorenzo, Portal Exame, 17.04.2009

A decisão da Vale de abrir mão de sua participação na Usiminas foi vista como uma grande oportunidade para os demais acionistas controladores da companhia. A Camargo Corrêa fez questão de exercer seu direito de preferência na compra das ações, apostando num futuro promissor para a siderúrgica. "Vemos um forte potencial de crescimento na Usiminas", afirma Francisco Caprino Neto, presidente da Divisão de Concessões do Grupo Camargo Corrêa.
Segundo o executivo, a Usiminas reúne uma série de fatores que lhe confere perspectiva de bons resultados. Dentre eles estão a qualidade de gestão e a de produtos.

Enquanto a recuperação do mercado não vem, Caprino Neto afirma que a empresa está bem preparada para enfrentar a crise, apresentando uma sólida estrutura financeira. "Além disso, a Usiminas conta com tecnologia de última geração, que lhe permite aproveitar oportunidades e se adaptar rapidamente às mudanças de cenário", afirma.
Pelas ações que pertenciam à Vale, a Camargo Corrêa e os demais acionistas controladores (Nippon, Mitsubishi Corporation e Grupo Votorantim) aceitaram pagar um prêmio de 32,8% sobre o fechamento dos papéis na Bovespa nesta quinta-feira (16/4). Foram adquiridas 14.869.368 ações ordinárias, correspondentes a 5,89% das ações ordinárias e 2,93% do capital total da Usiminas, por 40 reais cada.
Caprino Neto explica que o prêmio é justo, já que essas ações, por serem vinculadas ao acordo de acionistas, têm um valor acima do de mercado. Os papéis conferem a seus detentores o controle sobre a empresa. Acionistas que possuem ações ordinárias não vinculadas ao acordo de acionistas têm influência sobre a gestão da empresa (uma vez que esses papéis dão direito a voto), mas não podem fazer parte do bloco de controle.
"A saída da Vale conferiu aos acionistas controladores uma chance de reforçar seu posicionamento, num movimento de consolidação do bloco de controle", diz Caprino Neto. Dentre os acionistas controladores, apenas a Caixa dos Empregados da Usiminas optou por não exercer seu direito de preferência de compra. As ações as quais a instituição teria direito foram rateadas entre os demais acionistas.
Na Bovespa, as ações ordinárias (USIM3) da Usiminas registraram forte valorização no pregão desta sexta-feira, após já terem subido mais de 6% no dia anterior. Os papéis fecharam cotados a 31,40 reais, em alta de 4,25%.

Marcadores:

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.