Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

terça-feira, abril 01, 2008

Após março turbulento, abril chega marcando forte recuperação dos mercados

Por: Roberto Altenhofen Pires Pereira
01/04/08 - 18h07
InfoMoney


SÃO PAULO - Sem informações comprometedoras, e com um viés positivo proporcionado pelo noticiário do setor financeiro e consolidado pela agenda de indicadores, o mês de abril começou marcando forte retomada dos mercados globais.

Com todos os fatores a favor, os índices de Wall Street encontraram espaço para experimentar valorizações superiores a 3%, puxando consigo o mercado acionário doméstico, que teve uma terça-feira (31) de ganhos generalizados e evidenciados pela forte alta de 2,96% do índice Bovespa. O clima externo ameno também trouxe o dólar comercial de volta ao vermelho.

Desde o início do dia, a tendência de ganhos dos mercados já se configurava, tendo em vista a extensão das repercussões acerca da proposta de Henry Paulson em ampliar o poder do Fed sobre o sistema financeiro, evento responsável pelas altas da véspera. Paralelamente, os investidores recebiam bem o anúncio de captações bilionárias dos bancos de investimento UBS e Lehman Brothers, fator que minimizou as tensões com o possível colapso provocado pela crise de crédito ao setor.

Com todas as referências pesando para o lado positivo, os holofotes migravam para a agenda de indicadores, que poderia comprometer a trajetória dos mercados por conter grande fluxo de informações. Mas a despeito das preocupações mencionadas, tanto os dados do Construction Spending quanto do ISM Index surpreenderam as projeções e consolidaram a tendência positiva que viria a prevalecer sobre os mercados globais até o fechamento.

Internamente, o os investidores ainda avaliaram o avanço inflacionário evidenciado pelo IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor - Semanal) e o superávit de US$ 1,012 bilhão da balança comercial em março.

Ibovespa avança 3%, na esteira de Wall Street; dólar cai
Com o clima externo favorecendo, o Ibovespa fecha o primeiro dia de abril com valorização de 2,96%, que leva o indicador de volta para a casa dos 62.774 mil pontos. O volume financeiro totalizou R$ 5,91 bilhões.

No mercado de câmbio, o dólar comercial foi pressionado pelo movimento externo positivo e voltou a apresentar desvalorização depois de três altas seguidas. Em baixa de 0,34%, a moeda norte-americana terminou cotada a R$ 1,7460.

Maiores altas e baixas
As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1 Links
CCRO3 CCR Rodovias ON 27,80 +7,37 +2,99 18,77M
NATU3 Natura ON 19,20 +7,26 +16,47 24,05M
BBAS3 Brasil ON 24,66 +6,70 -18,25 204,08M
BRTP4 Brasil T Par PN 25,00 +6,47 +0,74 66,15M
LAME4 Lojas Americanas PN 13,86 +6,20 -10,62 48,99M

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1 Links
CESP6 Cesp PNB 28,25 -1,90 -34,95 127,95M
TNLP4 Telemar PN 46,00 -1,28 +34,70 59,63M
CSAN3 Cosan ON 25,75 -0,96 +23,80 27,81M
TMCP4 Telemig Part PN 50,00 -0,39 +5,27 17,28M
TNLP3 Telemar ON 60,47 -0,19 +3,28 31,97M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o Índice Bovespa, foram :

Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg
PETR4 Petrobras PN 75,76 +2,39 804,08M 794,89M 11.738
VALE5 Vale Rio Doce PNA 51,90 +2,18 635,17M 608,68M 13.864
ITAU4 Itaubanco PN 41,25 +3,15 297,07M 137,27M 4.689
BBDC4 Bradesco PN 49,80 +2,04 265,48M 158,94M 4.980
BBAS3 Brasil ON 24,66 +6,70 204,08M 113,50M 6.628

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

Vindos de quatro desvalorizações seguidas, os papéis ordinários da CCR lideraram o movimento positivo do Ibovespa no dia, com expressiva recuperação de 7,37%.

Na contramão da tendência ascendente do índice, as ações da Cesp deram seqüência à sua resposta negativa ao fracasso do leilão de privatização, e encerraram o dia com baixa de 1,90%.

Renda Fixa
No mercado de títulos da dívida externa brasileira, o Global 40, bônus mais líquido, encerrou cotado a 134,6% de seu valor de face, o que representa uma queda de 0,41%.

O risco-país, calculado pelo conglomerado norte-americano JP Morgan, fechou cotado a 270 pontos-base, baixa de 11 pontos em relação ao fechamento anterior.

Bolsas dos EUA disparam
Nos Estados Unidos, o índice Nasdaq Composite, que concentra as ações de tecnologia norte-americanas, fechou em forte alta de 3,67% e atingiu 2.363 pontos.

Seguindo esta tendência, o índice S&P 500 valorizou-se 3,59%, a 1.370 pontos. Da mesma forma, o índice Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas, subiu 3,19%, a 12.654 pontos.

Na Europa, o índice CAC 40 da bolsa de Paris registrou forte alta de 3,38% e atingiu 4.866 pontos. No mesmo sentido, o índice DAX 30 da bolsa de Frankfurt valorizou-se 2,84%, chegando a 6.720 pontos. Já o FTSE 100, da bolsa de Londres, subiu 2,64%, a 5.853 pontos.

Veja os indicadores previstos para a quarta-feira
Na quarta-feira, não serão apresentados índices relevantes no Brasil.

Nos EUA, o destaque vai para o discurso programado de Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve. Em paralelo, atenções ao ADP Employment, documento que descreve os dados referentes a novos postos de empregos criados no setor privado do país em março.

No mesmo dia, serão publicados o índice de hipotecas MBA Purchase Applications e os estoques de petróleo do país, além do Factory Orders referente ao mês de fevereiro, parâmetro da atividade industrial.

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.