Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

domingo, fevereiro 10, 2008

Bom desempenho de ações da Vale contrasta com cenário incerto do Ibovespa

Por: Roberto Altenhofen Pires Pereira
08/02/08 - 19h00
InfoMoney

SÃO PAULO - Com ocorrências pesando para os dois lados, o rumo dos mercados mostrou-se incerto ao longo do dia, com o Ibovespa oscilando entre leves altas e baixas. Mas um papel em especial vem chamando a atenção por seu bom desempenho nesta sexta-feira (8), o da Vale.

As ações preferenciais classe A da companhia apresentaram valorização de 1,81%, cotadas a R$ 45,40, enquanto os papéis ordinários fecharam com alta de 2,09%. Ainda assim, ambos os ativos acumulam desvalorização superior a 10% desde o início do ano.

Além do preço baixo dos papéis, os desdobramentos da questão da consolidação do setor de mineração e a cotação das commodities no mercado internacional compõem o cenário para a empresa, e podem ajudar a explicar a performance dos ativos.

Forte avanço do níquel e do cobre
Sem grandes novidades a respeito do processo de oferta pela mineradora anglo-suíça Xstrata, ganha foco a forte valorização do cobre e do níquel no mercado internacional.

O primeiro apresenta alta superior a 3% na bolsa mercantil de Londres nesta sexta-feira, enquanto o níquel, do qual a Vale é responsável pela maior produção mundial, avança mais de 2% na London Metal Exchange.

Além do cobre e do níquel, o minério de ferro também entra em evidência, com o reajuste do metal podendo a qualquer momento ser anunciado. Grande parte dos analistas projeta um forte avanço do preço do produto, com projeções que chegam a 70%.

Consolidação também em pauta
O cenário de consolidação do setor, que a cada dia parece mais inevitável, também tende a favorecer a mineradora brasileira, mesmo caso a Vale não participe. Com o setor mais concentrado, aumenta o poder de barganha das grandes produtoras internacionais, ponto positivo para a Vale.

Com as recentes investidas da BHP Billiton pela Rio Tinto, a Vale corre atrás da aquisição da Xstrata. Para Ricardo Tadeu Martins, gerente de pesquisa da corretora Planner, a compra da anglo-suíça deve mesmo sair.

"A Vale é consolidadora, e não consolidada, e vai buscar se posicionar bem dentro de seu mercado, contra-atacando eventuais investidas das rivais."

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.