Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

quinta-feira, abril 27, 2006

IGP-M de abril teve a menor taxa desde setembro

Qui, 27 Abr, 17h09

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de abril, que caiu 0,42%, registrou a menor taxa nesse tipo de indicador desde setembro de 2005, quando o IGP-M caiu 0,53%. A informação é baseada em tabela contendo a série histórica do indicador, fornecida pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em divulgações anteriores do índice.

Pela mesma tabela, é possível notar que o Índice de Preços por Atacado (IPA) de abril, que registrou queda de 0,77%, teve a menor taxa desde agosto do ano passado, quando o IPA caiu 0,88%. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que teve alta de 0,22% em abril, apresentou a maior elevação desde fevereiro deste ano, quando o IPC subiu 0,11%. Por fim, o Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), que subiu 0,21% em abril, teve a menor taxa desde setembro do ano passado, quando subiu 0,06%.

Acumulado
A queda acumulada de 0,92% em 12 meses até abril do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) é recorde na história do indicador, criado em 1989, e na história dos IGPs calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A informação é do coordenador de Análises Econômicas da FGV, Salomão Quadros.

Ele lembrou que o IGP-M de abril é o terceiro IGP seguido a mostrar queda na taxa acumulada em 12 meses. O primeiro foi o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de março (-0,29%); seguido pelo Índice Geral de Preços -10 (IGP-10) de abril (-0,78%). Antes do IGP-DI de março, nenhum outro IGP tinha registrado taxa negativa no acumulado em 12 meses.

O economista comentou que isso se deve ao efeito estatístico das deflações na série histórica do indicador. Ele lembrou que, no ano passado, as taxas mensais de inflação estavam bem baixas, e, nos primeiros meses deste ano, os indicadores estão apresentando quedas - ou seja, esses resultados de pequenas elevações e quedas começam a entrar na série histórica de 12 meses do indicador, derrubando a taxa acumulada.

Para Quadros, o resultado do IGP-M de abril acumulado em 12 meses é muito importante para o cenário da inflação em 2006, visto que o indicador é usado no cálculo de reajuste de vários preços controlados importantes, como tarifa de energia elétrica, TV por assinatura e aluguel.

Na avaliação do economista, com a queda registrada na taxa acumulada do IGP-M em 12 meses, bem como na do IGP-DI (também usado como indexador de reajustes), as tarifas e preços administrados devem exercer menor pressão na inflação este ano, visto que os reajustes não serão tão intensos. "Em 2006, os preços administrados e controlados vão preocupar menos do que nos outros anos", considerou.

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.