Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

sexta-feira, abril 28, 2006

Brasil fica em 3° lugar na rota de investidores, diz estudo

Da FolhaNews

28/04/2006
08h18-China, Índia e Brasil são, nessa ordem, prioridade para investimentos de 2006 a 2008 na análise de 1.410 presidentes de grandes empresas de 45 países, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira. A maior disposição em gastar dinheiro aqui não tem relação, porém, com aumento da concorrência local. Apenas 13% dos empresários estrangeiros crêem que companhias brasileiras de peso devam despontar nos próximos três anos e incomodar o mercado, forçando maiores investimentos, conclui o relatório da consultoria PricewaterhouseCoopers.

Baixo crescimento econômico, instabilidades na política cambial, legislação tributária asfixiante e excesso de regulamentação dos mercados trava o desenvolvimento das empresas brasileiras e as torna menos competitivas.

Portanto, uma possível ampliação nos investimentos locais, como destaca a pesquisa, não tem relação com o aumento da concorrência na região. O principal atrativo ainda é a oportunidade de acesso a novos clientes. Ou seja, ao mercado consumidor. Para 76% deles, esse ponto é decisivo no momento da definição do país como destino de recursos.

Esperava-se uma resposta diferente. O próprio relatório informa que acreditava na escolha do Brasil como fruto do processo de corte nos custos globais das companhias. Mercados emergentes podem ser mais "econômicos".

Pelo relatório, o país é a terceira opção de investimentos na análise dos 1.410 empresários, com 33% das intenções, perdendo para China (55%) e Índia (36%), informa a segunda edição da pesquisa. Na primeira edição, a questão não foi tratada. "Concorremos diretamente com chineses e indianos e, nesse cenário, é preciso ficar claro que aquilo que tínhamos no passado, como vantagens competitivas, não podem ser mais classificadas dessa forma. Recursos naturais ou mão-de-obra barata deixaram de ser diferenciais, e não estamos conseguindo desenvolver novos atrativos", diz Fernando Alves, presidente da Price.

Para 68% dos entrevistados, os investimentos no Brasil devem aumentar em 2006. Outros 23% acreditam que ficam estáveis e para 8% irão cair, 1% não opinou.

Quanto ao ingresso de investimento estrangeiro direto no país em 2006, a estimativa está em US$ 18 bilhões, diz o Banco Central - foram US$ 16 bilhões em 2005. Logo, é preciso que o país receba, em média, US$ 1,5 bilhão ao mês.

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.